top of page
Buscar
  • Foto do escritorJéssica Reis

Informe-se [Edição 008] - Dia Nacional de Combate à Discriminação Racial

O "Informe-se" é uma publicação voltada para, como o próprio nome sugere, informar a comunidade sobre assuntos variados. Na matéria de hoje, o tema será o Dia Nacional de Combate à Discriminação Racial, através de publicação(ões) feita(s) sobre o tema, que pode(em) ser lida(s) na íntegra ao final dessa matéria.



O grave e preocupante problema do racismo [...] veio à tona novamente [...].. Infelizmente, o racismo persiste no cenário contemporâneo, causando dor e indignação na vida de inúmeras pessoas e de suas famílias, deixando feridas abertas e cicatrizes profundas. Uma sociedade, de fato democrática, não pode tolerar manifestações racistas, seja nas arenas dos esportes, seja nos campos da vida. 


Embora atingindo também outros grupos sociais, o preconceito racial e étnico atinge, sobretudo, a população negra. Passos significativos e portadores de esperança têm sido dados na legislação civil para a superação desta chaga social, principalmente através da penalização dos infratores. Mas o caminho a percorrer é longo para a sua erradicação, exigindo sempre mais efetividade na aplicação da justiça, mas também no âmbito da prevenção, através de uma nova cultura fundamentada na dignidade inviolável de cada pessoa, no respeito às diversas culturas e raças, na convivência fraterna e pacífica.


Os poderes públicos têm muito a fazer no combate ao racismo, mas é preciso um esforço permanente e incansável envolvendo a sociedade civil organizada, as escolas, as universidades e as diversas confissões religiosas, dentre outros. Além disso, cada um pode contribuir muito para a superação do preconceito racial nos ambientes em que vive, jamais justificando ou reproduzindo atitudes preconceituosas. A resposta à pergunta “até quando” depende também de cada um de nós. Não se pode perder a capacidade de indignação ética diante de manifestações racistas. O desrespeito e a banalização da vida, com as suas várias expressões, não podem ser incorporados ao cotidiano como algo tolerável ou inevitável. 


O racismo é sempre desumano e desumanizador; representa uma grave ofensa ao Criador e a negação do amor ao próximo ensinado por Jesus. A dignidade está inerente à condição de ser humano; não ocorre por concessão de alguma pessoa ou instituição social. É um dado antropológico a ser reconhecido e tutelado pelas instituições sociais, que não podem jamais ignorá-la ou permitir a sua violação.


O não reconhecimento da real dignidade de cada pessoa, por diversos motivos, como a cor da pele, a cultura, a religião ou a condição social, gera desrespeito, discriminação, violações à vida e aos seus direitos fundamentais. O ser humano, “imagem e semelhança” de Deus, possui uma dignidade incomparável, a ser reconhecida em qualquer condição ou situação. Entretanto, as pessoas ou grupos mais vulneráveis, as vítimas de injustiças e preconceitos, necessitam de maior atenção e solidariedade. O caso de racismo [...] nos leve a estar vigilantes e comprometidos com a superação dos preconceitos e da intolerância nas arenas da vida. 



Qual sua atitude diante do racismo?


Além de crime, o racismo vai em desencontro com a nossa fé cristã, visto que Jesus acolheu a quem Dele quisesse se aproximar, sem distinção alguma. Diante disso, algumas atitudes que podem ser tomadas para combater o preconceito racial e promover a inclusão:


Eduque-se: O primeiro passo para combater o preconceito racial é buscar conhecimento. Dedique-se a aprender sobre a história, a cultura e as experiências das diferentes comunidades raciais. Leia livros, assista a documentários, participe de palestras e workshops. Quanto mais você se educar, mais apto estará para enfrentar o preconceito e promover a inclusão.


Examine seus próprios preconceitos: Todos temos preconceitos, mesmo que inconscientemente. É importante fazer uma reflexão sincera sobre nossas crenças e atitudes. Identifique seus próprios preconceitos e trabalhe ativamente para desconstruí-los. Esteja aberto ao diálogo, ouça experiências de pessoas racialmente diversas e questione estereótipos enraizados.


Promova a diversidade e inclusão no ambiente de trabalho: Se você é um líder ou tem influência no ambiente profissional, promova a diversidade e a inclusão em sua equipe. Garanta que as oportunidades sejam igualmente acessíveis a todos, independentemente de sua raça. Valorize e reconheça as contribuições de profissionais de diferentes origens raciais. Crie um ambiente seguro e acolhedor para que todos possam expressar suas ideias e perspectivas.


Amplie sua rede de contatos: Procure conhecer e estabelecer relacionamentos com pessoas de diferentes origens raciais. Isso ajudará a expandir sua visão de mundo, promoverá a troca de experiências e fortalecerá seu compromisso com a igualdade e inclusão. Esteja aberto a ouvir e aprender com outras pessoas, reconhecendo a importância da diversidade em todos os aspectos da vida.


Denuncie e intervenha em situações de preconceito: Se presenciar atos de preconceito racial, não fique em silêncio. Denuncie, intervenha e apoie a vítima. Seja um aliado e defensor da igualdade. Se necessário, busque orientação e suporte de profissionais especializados em combate ao preconceito e discriminação racial.


Incentive o diálogo e a conscientização: Promova discussões e diálogos abertos sobre questões raciais. Organize eventos, palestras e workshops para conscientizar as pessoas sobre a importância da igualdade e inclusão racial. Estimule a empatia e o respeito mútuo, criando um espaço seguro para que todos possam expressar suas opiniões e compartilhar suas experiências.


Em ano eleitoral, cabe também outra reflexão: você se lembra em quem votou na eleição passada para prefeito(a) e vereador(a)? Se seu candidato(a) foi eleito(a), o que ele(a) fez para combater o racismo em sua cidade? E no final do ano, você vai votar em alguém que busque a igualdade entre as pessoas? Pense nisso, pois através do voto pode-se aumentar as políticas públicas relacionadas ao combate das desigualdades, sejam elas relacionadas à cor de pele ou qualquer outra situação.



Texto: Jéssica Reis

Pascom - Paróquia do Bom Pastor


Sobre a autora:

Olá, me chamo Jéssica e hoje apresento a vocês o “Informe-se”, o seu momento de leitura aliado à informação. Sou Escritora Independente, sendo os principais livros publicados os títulos: "Jesus: Amigo, Mestre e Guia", "Jesus: Paz, Luz e Bem", que são análises dos Evangelhos de São João e São Lucas, respectivamente, trazendo interpretações sobre como os ensinamentos de Cristo podem ser vividos nos dias atuais.


Referências para essa publicação:

14 visualizações0 comentário

Σχόλια


bottom of page