top of page
Buscar
  • Foto do escritorJéssica Reis

Feliz Natal!

A espera pelo Menino está quase no seu fim. O Salvador está chegando! Natal é tempo de paz, de amor, de reconciliação. Para comemorar essa data, a seguir estão mostrados trechos do artigo "O sentido espiritual do Natal", escrito por Pe. Lucas Alberto e publicado no Jornal Pastoral da Arquidiocese de Mariana, que pode ser lido na íntegra no link ao final do texto. Aproveitamos para convidar a todos para as celebrações de Natal, tanto na Matriz, quanto nas Comunidades. Celebre a vinda Daquele que é o caminho, a verdade e a vida! Mais informações na imagem a seguir e na programação publicada em matérias anteriores, além das redes sociais da Paróquia:


Fonte: Pascom - Paróquia do Bom Pastor



O sentido espiritual do Natal


“O Verbo se fez carne e habitou entre nós (Jo 1, 1)”. Com essas palavras, inauguramos o tempo da graça e da salvação para a humanidade. No Verbo que se faz criança está a esperança de todo ser humano, Ele que vem para iluminar a todos (cf. Jo 1, 9) [...]. Quando pensamos no Natal, podemos, contaminados pelas ideologias comerciais e pelas tradições que a sociedade vai abraçando, esvaziá-lo de seu autêntico sentido e reduzi-lo a um feriado ou momento de confraternização com abundância de comida, bebida e troca de presentes. O Natal é muito mais: é a festa da esperança, do amor e da misericórdia de Deus por seu povo!

O Natal acontece nos corações que, disponíveis, se colocam a acolher a salvação. Todos os aparatos exteriores devem ser expressão da feliz expectativa pela vinda do Salvador, mas não podem ser contemplados como se fossem a sua essência. Para compreendermos bem a espiritualidade do Natal precisamos de três atitudes fundamentais: acolhida, humildade e gratidão.


Sobre o primeiro aspecto, o Natal é autêntico quando Jesus Cristo é acolhido nos corações. O Verbo se encarna no ventre imaculado de Maria para salvar a cada ser humano [...]. Sem a acolhida e a permissão para que o Verbo se encarne em nossa existência, sem experienciarmos a força salvadora do Senhor, sem a nossa adesão, Cristo não nascerá em nós [...]. Acolher o Verbo em nós significa termos a mesma disponibilidade de Maria, que diz sim ao projeto de Deus para sua vida; ter a coragem de José em acolher a missão que Deus lhe confiara de, na terra, ser o guardião do Salvador; requer de nós uma constante saída de nós mesmos e a renúncia das nossas vontades para abraçar o querer de Deus. Significa, por fim, o acolhermos em todos os modos de sua presença entre nós: na Eucaristia, na Palavra e nos irmãos e irmãs, especialmente, nos mais pobres.


Outra atitude fundamental é a humildade. Sem essa disposição do coração, que nos faz conscientes de quem somos e o tanto que de Deus precisamos, não vivenciaremos a riqueza desse tempo. A humildade é a porta pela qual acessamos o coração do Natal, porque é revestido de humildade que o Senhor vem a nós! Ele, o Todo-poderoso, se “reveste da nossa humanidade” (cf. Fl 2, 7), escolhe o caminho da simplicidade e não o do espetáculo. Jesus nasce num local de extrema pobreza: o presépio, porque não havia lugar na hospedaria (Lc 2, 7). Desde o início, Jesus Cristo anuncia que o seu caminho é da humildade e da pequenez. Somente despidos de nossas vaidades, orgulhos, disputas por poder, ganâncias e ambições desmedidas seremos capazes de experimentar o verdadeiro Natal.


A terceira atitude necessária é a gratidão. O Natal revela o infinito amor de Deus por nós, que mesmo diante das constantes infidelidades de seu povo não deixa de amá-lo e de querer a sua salvação! É Deus quem nos dá o verdadeiro e melhor presente que é o seu único Filho: Jesus Cristo. Na experiência pessoal da gratidão, funde-se o encontro de Deus com sua criatura e aí acontece a salvação. Que saibamos agradecer o amor, a misericórdia, a ternura, a compaixão, a solidariedade de Deus para nós manifestada naquela pequenina criança que “chora entre as palhas”. Diante da gratidão nasce um compromisso de fidelidade, de abraçar o caminho novo apresentado por Jesus, na constante atenção à sua Palavra, no nosso seguimento de discípulos- -missionários.


Trazendo essas três atitudes interiores, seremos capazes de viver o Natal em seu mistério e importância para a vida cristã. Somos convidados a nos preparar para a festa da Salvação, primeiramente, pela participação ativa na Liturgia, nas Celebrações Eucarísticas, realizando a Leitura orante da Palavra de Deus, passo a passo rumo à Solenidade do Nascimento do Senhor, por meio de uma consciente celebração do sacramento da Reconciliação. O sentido espiritual do Natal ocupa o coração da vida cristã. Além disso, marca o início de um novo tempo, o cumprimento de todas as promessas de Deus. Não se trata de mais um Natal, mas é o Natal! É no hoje de nossa existência que Jesus nasce e atualiza todo o mistério de vida e salvação.


Vivamos na fé e na alegria o Natal do Senhor, a fim de que não seja mais um feriado ou mero dia de festa, mas seja, de fato, graça de Deus para todos nós, dia de vida e salvação e se estenda por todos os dias de nossa existência, iluminando a vida de todos que de nós se aproximarem!


A Paróquia do Bom Pastor deseja a todos as bênçãos do Menino Jesus!


Texto: Jéssica Reis

Pascom - Matriz do Bom Pastor


Referência para a elaboração dessa matéria:

48 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Kommentare


bottom of page